Desentupimento caseiro pode agravar o problema, apontam estudos

De acordo com dados da SABESP (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), principalmente em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a capital paulista registrou uma alta demanda pelo serviço de desentupimento. Mesmo com as tentativas de desentupimento caseiro, que consequentemente ocorreram em maior escala em virtude do isolamento social, a demanda por profissionais desentupidores aumentou consideravelmente.

Desentupimento caseiro: é aconselhável?

Segundo dados da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), em parceria com o CEPID (Centro de Pesquisa, Inovação, e Difusão), e CEM (Centro de Estudos da Metrópole), o número de moradias verticais em São Paulo é maior do que o de casas. Isso explica porque a porcentagem de apartamentos atendidos por empresas desentupidora em SP é maior que o número de casas.

Com base nessas informações, o desentupimento caseiro pode não ser a melhor opção a médio e longo prazo, especialmente em se tratando de edifícios (moradias verticais) mais antigas. Após os métodos caseiros para desentupir canos serem realizados, como o uso de soda cáustica na tubulação, o problema pode se tornar uma verdadeira bola de neve, agravando a situação.

Conforme estudos feitos pela USP, no caso de prédios e outros imóveis construídos há décadas atrás, o entupimento da tubulação não deve ser considerado um problema isolado. Devido ao encanamento antigo, as tubulações podem apresentar índices de chumbo, o que faz da manutenção hidráulica por empresa qualificada uma necessidade, não só para evitar o entupimento, mas para garantir a qualidade da água.

Outro ponto é que o uso de produtos corrosivos tem um alto potencial de danificar o encanamento, e as tentativas repetidas de desentupimento caseiro podem acarretar em futuros vazamentos, gerando ainda mais despesas.

Serviços de desentupimento em São Paulo durante a pandemia

Condicionada ao lockdown, assim como todo o restante do país, a capital paulista se deparou com problemas hidráulicos diversos, dentre os quais se destacaram os entupimentos prediais. Como se não bastasse essa questão, a perda de renda fixa obrigou os paulistas a repensarem seus gastos e a terem maior cautela ao contratarem serviços.

Somente na região metropolitana paulista, de acordo com um estudo da Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), 25% da população foi dispensada do trabalho. Com a perda de renda salarial e com as tentativas falhas de desentupimento caseiro, a procura por desentupidora profissional de credibilidade e referência tornou-se um critério de extrema relevância.

Para sorte dos que residem especialmente em apartamentos, apesar de todas as restrições relacionadas à pandemia do COVID-19, as desentupidoras continuam atendendo a domicílio, seguindo todos os protocolos de segurança conforme exigidos pela OMS. A idoneidade da empresa, porém, deve ser o quesito número um, de modo que o serviço realizado sane as necessidades do cliente e ofereça um período de garantia pelo reparo da tubulação obstruída.

Empresas de desentupimento profissionais como a Desentupidora SP têm atendido moradores na zona norte, sul, leste e oeste paulista, com serviços prestados 24 horas, considerando chamadas de emergência.

 

Escreva um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *